sábado, 20 de dezembro de 2008

A Flor



A FLOR

Virei costas, abalei mundo fora …
Cerrei olhos, chorando por amor,
Bati portas, feito surdo ao mundo,
Tal como errabundo de outrora…

Queria esquecer, sem recordar,
Numa amada vontade de dor,
Naquele anoitecer cinza de breu,
Com a vil esperança de regressar.
E assim, … livremente, lá fui eu…


Errei por pecaminoso caminho,
Nas longas, tristes noites que chorei,
Deleitado em frios pés descalços,
Nos percalços de rosas que pisei.

Fui sultão, gente, até pedagogo,
Naquele quente frio de carinho,
Com tudo o que dei e não pedia,
No vão arrasto do lúgubre lodo.
E assim livremente, eu vivia.

Também fui feliz, livre, e ouvi
Naquela vítrea luz do teu olhar,
O som no esgar da vida que fiz,
E a infeliz dor do que perdi.

Então, teimei renascer e voltar.
Do tempo que ficou, nesses cantos,
E assim, dedico-te mil encantos,
Para nesses tempos nunca ficar.

Assim pensei. …. mas…,

Acordei vagabundo sem amor,
Recordei,
brando e abandonado,
Naquele fundo de dó e de dor,
O Só,…, em que me
tinha tornado

Mesmo assim,……. de novo, beijei

A Flor.


Orlando Martins - 2008

10 comentários:

Olímpia disse...

Diverte-te enquanto és jovem porque nunca foste tão velho como hoje!...
PARABÉNS Orlando.
Neste dia 21 de Dezembro, festejas o teu 51º aniversário.
No dia 25 de Dezembro,festeja-se a Festa da Família e sei que não poderás viajar até Rebordaínhos.
Mas, com este belíssimo poema, tu beijas de longe a tua flor, e homenageias todos aqueles que, por variadas razões tiveram que partir.
Bem-hajas Orlando
Beijos
Olímpia

Fátima disse...

Orlando

Hoje é só dos teus anos que quero falar.

Parabéns,pois, e muitas felicidade no sapatinho!

P.S. Se nem hoje mostrares a cara, nem sei que te faço!

Olímpia disse...

Orlando:
Agradece à Fátima a ilustração da poesia.
E não é que ela até tem razão!
Vá lá, mostra-te e vem a este nosso canto comentar!
Bora lá!
Beijos
Olímpia

J. Stocker disse...

Grand Orlando

Obrigado pela poesia, votos de um dia de anos bem passados.

Um grande abraço

Sophiamar disse...

Parabéns, Orlando! Associo-me às gentes de Rebordaínhos, aos seus amigos, e desejo-lhe muitos anos de vida com saúde e alegria.
Aguardo os seus posts. Os que aqui tenho lido são divinais.

Bem-haja!

Um abraço fraterno

António disse...

Bem regressado, poeta.
Já tardavas e começava a ficar intrigado com a tua ausência.
Nunca percas esta capacidade de maravilhamento que a vida sempre nos merece. Se ela nos traz muitas agruras, há sempre algures escondida uma flor a pedir uns versos
E, já agora, parabéns pelo teu aniversário que não sabia que acontecia hoje.

Augusta disse...

Parabéns velhote! Qualquer dia apanhas-me. Mas, como sou mais rápida que tu, continuo à tua frente. Bem feita! Assim, Nunca me apanharás!
Quanto à Flor, já te havia dito o quanto me agradava, como me agradam sempre os teus poemas.
E, já agora, porque em conjunto a força multiplica-se, junto-me aos ecos das minhas manas: NÃO ÉS HOMEM, NEM ÉS NADA, SE NÃO APARECERES HOJE!
Vá lá, dou-te uma treguasita: podes aparecer amanhã.
Beijos, e que contes pelo menos outros tantos. Mas comigo a dar-te os parabéns!
Augusta

Anónimo disse...

Hoje, 21 de Dezembro, almocei com a minha mulher e os meus dois filhos (só??).

Foi para mim um dia feliz.

Mas... juro, que vos tinha a todos no coração, e no decorrer do almoço onde alguma lágrimas, escondidas, banharam a minha mãe e o meu pai, se estenderam a esta grande família. TODOS VÓS.

Obrigado por tudo.

Orlando Martins

Augusta disse...

Assim está bem. Afinal estás vivo!E agora os parabéns são redobrados.
Beijos

Céu disse...

Orlando

Muitos Parabéns pelo teu 51º. aniversário e também pela bela poesia.
Ainda bem que temos entre nós pessoas como vocês para partilharmos estes sentimentos que só os poetas sabem transmitir.
Desejo-te um feliz Natal e um Bom Ano Novo para ti e para a tua família.
Um beijinho
Céu