sábado, 29 de maio de 2010

DITOS DO POVO


MAIO

Em Maio queima a velha o talho.

Maio pardo, queima a velha o fardo.

Maio pardo e ventoso faz o ano formoso.

Uma água de Maio e três de Abril valem por mil.

Tantos dias de geada terá Maio, quantos de nevoeiro teve Fevereiro .


Um maio rico de flores e pobre em adágios? Quem se lembra de mais?

14 comentários:

Anónimo disse...

A ver pela levada de água observada em "ao passar a ribeirinha", um provérbio dito amiude em Toulões não fará muito sentido em Rebordaínhos:

"EM MAIO VERÁS, A ÁGUA COM QUE REGARÁS"

Um abraço

chanesco

Olímpia disse...

Ora, então aqui vão mais uns ditos:
- Maio pardo, queima a velha o fardo;
- Maio pardo e ventoso faz o ano formoso;
- Uma água de Maio e três de Abril valem por mil;
- Tantos dias de geada terá Maio, quantos de nevoeiro teve .

Bjos
Olímpia

Olímpia disse...

Não completei o último provérbio.
É assim:

"Tantos dias de geada terá Maio, quantos de nevoeiro teve Fevereiro".

Bjos
Olímpia

Fátima Pereira Stocker disse...

Caro Chanesco

Aquela fotografia é do princípio de Abril e foi tirada este ano que foi particularmente chuvoso, ou seja: se calhar, o provérbio de Toulões aplica-se bem a Rebordaínhos.

Um grande abraço

Fátima Pereira Stocker disse...

Olímpia

Obrigada, já acrescentei a lista.

Os acasos fazem destas: agarrei no tu comentário e copiei-o tal e qual. O resultado gráfico foi uma curiosa pirâmide porque cada provérbio tem mais palavras (ou elas são maiores) do que o anterior.

Beijos

Augusta disse...

Ainda bem que há quem se lembre de alguns, porque de maio não conheço nenhum.
Parabéns pelo esforço.
Beijos

Rui disse...

Em Maio, Come as cerejas o borralho.
Em Maio, Onde quer eu caio.
Maio pardo, Ano claro.
Maio pardo, Junho claro, Fá-lo lavrador honrado.
Primeiro de Maio, Corre o lobo e o veado.

Em "Annuario para o estudo das tradições populares portuguezas" de J. L. de Vasconcelos.

Cumprimentos,
Rui

Anónimo disse...

Aqui vai,

"Maio couveiro não é vinhateiro"

"Maio frio e Junho quente: bom pão, vinho valente"

"Maio hortelão, muita palha e pouco grão"

Cumprimentos

Anónimo disse...

Mais alguns:

"As favas Maio as dá, Maio as leva"

"Quando maio chegar, quem não arou tem de arar"

"Quem em Maio não merenda, aos finados se encomenda"

"Quem em Abril não varre a eira e em Maio não rega a leira, anda todo o ano em canceira"

Cumprimentos

Fátima Pereira Stocker disse...

Augusta

Pois é... Ainda bem que há mais gente a acrescentar!

Beijos

Fátima Pereira Stocker disse...

Rui

Obrigada! Perdoa-me se não acrescento já a lista, mas preciso que me digas se o Leite de Vasconcelos assinala a recolha como sendo de Rebordaínhos. Pode ser?

Beijos

Fátima Pereira Stocker disse...

Anónimo

Obrigada! Tal como pedi ao Rui, peço-lhe agora a si: esses provérbios são, mesmo, ouvidos em Rebordaínhos? É porque favas e vinho na nossa terra não me lembro que houvesse.

Acrescentei logo os que a Olímpia escreveu porque sei que foi o meu pai que lhos ensinou.

Beijos

Rui disse...

Bom tarde,

Não, não são de Rebordainhos. Contudo não encontrei onde indicasse a fonte dos mesmos. De Rebordainhos, que ele mencione claro, apenas os quatro poemas.

Beijos,

Fátima Pereira Stocker disse...

Rui

Como deves compreender, nesse caso não devo publicar. Mas obrigada à mesma.

Beijos