domingo, 29 de agosto de 2010

A FESTA

De manhãzinha, as mulheres preparam as carnes e tudo quanto é preciso que se faça no próprio dia. Muitas continuam a acender o forno que enchem com o seu almoço e com o dos vizinhos que lhes pedem que façam o favor. Foi assim com a tia Eduarda e connosco. Mas desta vez, a tia Eduarda muniu-se de uma pilha, para poder espreitar melhor lá para dentro!

...

Enquanto e não, os mordomos recebem a banda e percorrem o povo

... video

A missa foi ao meio-dia, seguindo-se a procissão.





Quando chegámos a casa, todos tínhamos a mesa posta e o almoço servido. O arraial, como é de tradição, decorreu por entre os assobios do vento. Este ano voltou o fogo de artifício. É verdade que foi um espectáculo muito bonito e que havia licença dos bombeiros, mas não sei se a beleza justifica os riscos.



video


___
Os vídeos são do Rui Freixedelo.

11 comentários:

Anónimo disse...

Está linda, a minha prima Eduarda.
Mulher de garra, como prova todo o seu viver.
Parabéns a todos pela festa.
Eduarda

antonio disse...

Podem, os que não estiveram presentes, viver a nossa festa, quase ao vivo, até com o cheirinho das carnes assadas no forna a lenha, música e fogo de artifício, graças à Fátima cuja vontade de levar até aos que vivem distantes, e por razões diversas, foram privados; e ao Rui, sempre no lugar certo, à hora certa, a quem agradeço, os videos do convívio. Não exitou pausar na alimentação para acquiescer ao meu pedido.

É verdade que o arraial foi para os mais corajosos, "quem dança, não tem frio, nem cansa...
Faço também um apelo aos briosos comentadores, um tanto dispersos e ausentes, como eu também estive, mas, entre os nossos é que se está bem, força e garra herdada dos antepassados, e o resto é conversa... Abraços amigos

Fátima Pereira Stocker disse...

Eduarda

A tia Eduarda é um encanto de pessoa!

Beijos

Fátima Pereira Stocker disse...

Tonho [Brás]

Obrigada pelo estímulo. Confesso que já pensei em desistir, mas olho para o número de visitas e digo a mim própria que o trabalho vale a pena porque serve muita gente. Se as pessoas não dizem nada, lá terão os seus motivos e, embora sinta pena, compreendo.

Essa tirada da dança tem graça! Saiu-te agora ou é dos antigos?

Beijos

Anónimo disse...

Fátima
Por favor não desistas.
Então, como é depois, matamos as saudades?
Um beijo
Eduarda

Olímpia disse...

Esta festa, em honra da Padroeira, é motivo de convivio entre familiares e amigos.
Esteve bonita e apreciei especialmente o fogo de artifício que, naquela noite (fria como sempre), sobre o céu escuro, nos deliciou com aqueles lindos efeitos.
Não posso deixar de mencionar os arranjos florais da igreja e dos andores que, mais uma vez fizeram "um figurão". Parabéns às artistas que os compuseram.

Bjos

Olímpia

Lurdes disse...

Fátima parabéns pela linda reportagem, eu este ano nem tive tempo para ir espreitar a procissão ao passar na portela, isto de morar fora da aldeia tem os seus inconvenientes e ter nesse dia 25 pessoas em casa também não me deixou tempo para nada... mas foi um dia de muita alegria em família e algum trabalho :-)
Beijos
Lurdes

Rui disse...

Bonita e genuína a descrição da dia da festa. Inclusive dos preparativos e de todo trabalho que é necessário para que tudo esteja lindo como todos os anos! Parabéns a toda essa gente trabalhadora e aos Mordomos(as).
E concordo com a D.Olímpia, o fogo de artifício deliciou.
Beijos
Rui

Fátima Pereira Stocker disse...

Eduarda

É um projecto muito querido, por isso vou tentando aguentar.

Muito obrigada.

Beijos

Fátima Pereira Stocker disse...

Lurdes

Obrigada!

Provavelmente eras a única mulher da casa, razão para teres tanto que fazer. Eu vou cantando de galo porque as minhas irmãs sabem fazer muito bem essas coisas todas.

Beijos

Fátima Pereira Stocker disse...

Rui

Obrigada pelo que disseste e pelas imagens - sempre captadas de um ponto de vista original.

Beijos