domingo, 11 de março de 2012

AS NOSSAS PALAVRAS

I


Hoje, não sei porquê, não me sai da cabeça uma palavra que usamos muito: "mandicante".

Mandicante é uma palavra curiosa, que não surge de outra e não dá origem a nenhuma. Não dizemos que fulano tal anda a mandicar, nem que vive em estado de mandicância. Não vem, pois, de nenhum verbo nem de nenhum substantivo. Também não forma diminutivos ou aumentativos. Mandicante é, assim, palavra estéril, embora seja adjectivo cheio de conteúdo.

A única certeza que tenho é que "mandicante" é corruptela de "mendicante", palavra que vem do Latim "mendicans" e entra no Português por origem culta.

Para o vulgo, um mendicante é um pobre, mas para nós um pobre é um pobre (merecedor de respeito e caridade), enquanto que um mandicante é um malandro. Há um abismo entre os significados das duas palavras. De onde virá? Tudo quanto escreverei a seguir é fruto de imaginação e agradecem-se outras explicações.

Creio que o nosso "mandicante" tem origem na má fama que as ordens mendicantes foram ganhando com as práticas pouco evangélicas de alguns dos seus membros. Esses, aproveitando-se das vestes talares e da autoridade que delas emanava, mais do que abichar a esmola, procediam a autênticas extorsões daquilo que houvesse na tulha ou no fumeiro das casas dos aldeãos. Para além dos bens, quantas vezes roubavam também o bom nome da filha ou da mulher da casa! A vulgarização de tais actos teria, forçosamente, que conduzir a um significado pejorativo da condição de quem os praticava.

Aqui deixo esta opinião à espera das vossas considerações.

12 comentários:

Ribordayn disse...

É uma possibilidade, no entanto alguém pode ter pensado que um mendicante não passa de um mandrião. Afinal tanto um quanto o outro não querem nada com o trabalho. Daí foi só fazer uma salada das duas palavras e olha aí no que deu...

beijos

antonio disse...

Mandicante, era atirado muitas vezes à cara de pessoas, com desprezo, simplesmente porque certas mentalidades, injustas e gananciosas, procuravam na infelicidade dos outros, recolher grandes quantidades de géneros, mas, sobretudo serviços grátis... eu pergunto: qual dos dois é mandicante? O que não trabalha para aquecer, ou o que quer que trabalhem para ele o outros, pelos seu lindos olhos?
Todo o trabalho merece remuneração, e maioria dos mandicantes, contentavam-se com um naco de pão...já deram. Beijos

elvira carvalho disse...

Gostei desta explicação sobre uma palavra que confesso a minha ignorância, nunca tinha ouvido, nem lido.
Um abraço e bom fim de semana

António disse...

Olá, Fátima:

Como diria o Camilo, abundo na tua interpretação etimológica, embora isso contenda um tanto com os propósitos do S. Francisco que aparece no texto anterior, ele próprio fundador de uma ordem mendicante. Esse mesmo sentido de uma degeneração do espírito dos mendicantes e do seu desamor pelo trabalho está subjacente à história popular da sopa de pedra e à proliferação dos goliardos que tu muito bem conheces da História.

Abraços.

A. Fernandes

Fátima Pereira Stocker disse...

Ribordayn

Antes de mais, desculpa a demora na resposta.

As ordens mendicantes surgiram no séc. XIII: Frades Menores, ou Franciscanos e Frades Pregadores, ou Dominicanos, ambas devendo os nomes aos respectivos fundadores (depois haverá outras). Elas nascem num contexto especial que não vale a pena desenvolver aqui, mas os seus fundadores têm em mente um objectivo fundamental: devolver a igreja ao princípio evangélico da pobreza. Os membros destas ordens deveriam, assim, pregar a palavra de Cristo em troca de nada, fazendo depender a sua sobrevivência da humildade da aceitação da esmola de quem lha quisesse dar e daquilo que lhes quisesse dar - se quisesse. S. Francisco de Assis era radical ao ponto de negar-se a construção de um convento para os frades poderem abrigar-se e levava a abnegação da propriedade, até, à posse de livros. UM FRADE, NO SEU ENTENDER, NADA DEVIA POSSUIR - NEM O CAPUCHO DO HÁBITO. Como se constata facilmente, o radicalismo de S. Francisco foi rapidamente ultrapassado.

O devir do tempo e as necessidades dos tempos fizeram aderir às ordens religiosas quem nunca lá deveria ter entrado e muitos "mendicantes" corromperam os votos em vidas dissolutas, contrárias à essência do cristianismo e dos princípios constantes da regra a que deviam obediência. Esses é que terão dado origem ao nosso "mandicante", termo que, parece-me, mais do que associado a mandrião, se relaciona com malandro.

Beijos e obrigada por teres aparecido

Fátima Pereira Stocker disse...

Tonho [Braz]

Pelo que compreendi daquilo que escreveste, havia quem, entre nós, chamava mandicante a quem fosse pobre. Dentro daquilo que dizes, tenho tendência a concordar contigo: mandicante, porque ladrão do direito à remuneração de quem trabalha, seria quem solicitava o trabalho e lhe pagava com ninharias.

Pessoalmente, só ouvi a expressão associada a quem andava na moina em vez de cumprir com os seus deveres.

Beijos e obrigada pela tua achega (e desculpa a demora na resposta)

Fátima Pereira Stocker disse...

Elvira

É um dos nossos regionalismos que não vem no dicionário. É, por isso, normal que nunca tenha ouvido tal expressão. Também eu tenho aprendido umas quantas consigo, e muito lhe agradeço por isso.

Beijos

Fátima Pereira Stocker disse...

Tonho

Obrigada por aquilo que dizes. Infelizmente, goliardos ainda haverá muitos a peralvilharem por aí, embora não respondam pelo nome, nem já se dêem ao trabalho de escreverem versos.

Beijos

Idanhense sonhadora disse...

Olá Fátima , sabe , estou de acordo com a sua "imaginação " Acho que deve mesmo ter sido isso e o povo está sempre atento mesmo quando julgamos que anda distraído .Assim , digo eu agora , há por aí muitos "mandicantes " que se fazem passar por pobres e despidos de todas as riquezas ,mas não as dispensam...
Beijinho
Quina

Fátima Pereira Stocker disse...

Quina

Esses mandicantes são os da "sopa da pedra" que o António referiu lá acima. Estamos rodeados deles. E fartos, fartinhos deles!

Beijos

Fátima Amaral disse...

Olá Fátima,acho interessante essa sua observação da palavra"mandicante",até porque na minha terra é muito usada no sentido de; trapaceiro,intrujão,aproveitador,mais do que no sentido de mendigar.


Beijos

Fátima Pereira Stocker disse...

Fátima

Pelos vistos, usamos o mandicante com os mesmos significados.

Obrigada pela sua visita.
Beijos