sexta-feira, 27 de junho de 2008

Padre David Ramos Fernandes

Faz hoje três anos que o Sr. Padre David faleceu. Natural da nossa Freguesia, dedicou toda a sua vida ao serviço do Senhor e dos seus semelhantes. Padre, enfermeiro, jornalista, escritor e músico, eram muitos os seus talentos.
Tive a oportunidade de o conhecer, ainda criança, em Montemor-o-Novo. Ele era visita habitual da casa de meus tios, onde eu passava muitos dias das férias escolares.
Dele só me lembro da sua viola e da sua alegria quando nela dedilhava, da afabilidade para com a gente pequena e do entusiasmo com que era recebido lá em casa.
Três décadas depois, ao visitar essa minha tia para apresentar a minha futura mulher, veio à baila a naturalidade da Fátima e só então fiquei a saber que aquele Padre que eu conheci na infância, ainda era nosso primo.
No passado dia 8 de Junho (almoço da Junta) foi colocada parte de uma imagem, por ele feita, junto à nossa Igreja Matriz, um gesto de agradecimento e respeito patrocinado pelo Sr. Padre Estevinho e pelo Presidente da Junta, com o aplauso de todo o povo de Rebordaínhos (ver o post ainda o almoço da Junta).
O blog não quis deixar passar a data sem a assinalar prestando-lhe esta homenagem que, embora modesta, é do coração.
Fizemos vários contactos com a Casa de S. Rafael, nos Açores, pois sabemos que tem lá várias esculturas de sua autoria, a ver se obtínhamos fotografias, mas ainda não obtivemos resposta. Continuaremos, porém a tentar.
Deixamos em baixo links para a pouca informação de que dispomos.


3 comentários:

J. Stocker disse...

Peço desculpa a todos, muito em especial ao Orlando e ao António, pela pouca qualidade da escrita, mas o tempo tem sido pouco e a actividade tem sido muita e propositada, também foi uma forma de o homenagear os dois post anteriores, fotos da Terra, falar dos Transmontanos e das suas iniciativas, agradarlhe-ia certamente.
Se algum de vocês quiser pegar no texto e reformulá-lo, enviem que eu agradeço e republico de imediato.
Pensei que seria melhor fazer alguma coisa, do que nada.
Vou continuar a procurar mais informação, para ver se conseguimos em Agosto mês do seu nascimento, se ter mais alguma informação, para ser preparada por vocês.
Um abraço

Fátima disse...

É de coração, que é o mais importante.

O P. David foi uma pessoa que nunca envelheceu, como se todo ele fosse alma. Um primo muito querido de meu pai.

Obrigada por teres escrito enquanto eu andava noutros afazeres.

Fátima disse...

Também eu estive em Montemor-o-Novo, alguns anos depois. O carinho com que toda a gente se referia ao "irmãozinho P. David" fez aumentar a enorme estima e consideração que já tinha por ele.