terça-feira, 8 de julho de 2008

Nomeadas (II)

Pasme-se: são 190! Cento e noventa nomeadas!


É claro o predomínio da letra -C- (36) e só não estão representadas as letras D, H, O, Q, U e X.
Só já falta identificar uma. Quem pergunta aos mais velhos? A tia Maria Fecisma, que me aturou longos minutos ao telefone, ajudou-me com muitas, mas não se lembrava de todas!

Há algumas muito bem apanhadas! Outras, tenho pena, nem imagino o que possam significar. No dizer do Tonho, as nomeadas muitas vezes aparecem de forma mais ou menos aleatória e por fenómenos de homonímia ou paronímia, sem qualquer significação especial. Acrescenta, ainda: É espantosa a criatividade desta gente de Rebordainhos que não deixava ninguém sem ser rebaptizado.

A grande vencedora do conhecimento das nomeadas é, sem margem para dúvidas, a Céu. Deixou-me de boca aberta. Parabéns! Ela não quis receber os louros pois, nas suas palavras, as grandes vencedoras das nomeadas são a Conceição e Delfina Fernandes. Foi a elas que pedi ajuda e também o meu irmão Orlando, sobretudo das mais novas.

Tentei organizar tudo alfabeticamente, mas tanta nomeada estava a deixar-me birolha. Ninguém se espante, por isso, se alguma vier fora de ordem. Aqui fica, então, o resultado.

Agasalho – Joaquim Pereia
Agulhas – José Carlos Silva
Alaxeco – Adriano (dos Pereiros)
Alheiras – Eduardo Pereira
Aidinhas – Alfredo Pires

Atilano – António Pires

Baçal – António Rodrigo (Ver Vira-Sacos)
Badalinho – João Silva
Bagueixe – José Fernandes
Balhinhas - Carlos Pereira (Ver Tralhós)
Batitá – José Augusto Pereira
Barbas d'Alho - Manuel Maria Pereira (Ver Galochas)

Barril – Manuel Pires (filho do sr. João Santo)
Beringuel – Luís RodrigoBexiga – Augusta Silva
Bilhó – Helena Alves (filha da tia Glória)

Bombo – José Fernandes (filho da tia Vermelha)
Bonifácio – Tarcísio Martins
Botão de Camisa – Eduardo Alves (filho da tia Glória)
Botija – Júlia Martins
Bóto – Manuel Gomes (Ver Galanduns)
Boubla – Aniceto Ferreira
Braba – Teresa Fernandes
Brotas – Hermenegildo Martins (filho do tio Grilo)


Cabo Raso – Alfredo Fernandes
Cachulas – António Pires
Çaço – Francisco António Fernandes (Ver Chasco)

........... ..Rui Fernandes

Cagalheta - João Pereira (Ver Engenheiro)
Caixeiro – Hermenegildo Pires
Caldeireira – Isabel Pires

Calhilha – Casimiro Pires
Caloura – Emília Maria Pereira
Calouros – Benedita Pereira....................
                 Emília Pereira
.................Estefânia Pereira
....................César pereira
Çapão – Sebasião MartinsCarabunhas – Alfredo Pires
Carambolas – Ernesto... marido da Sr. Dona Denérida, irmã do P.e João
Caranvas - Manuel Marins. Ver "Frade" e "Guerra"
Carriço – Evangelista Fernandes
Carroucha – Camila Pereira

.......................Conceição Fernandes (ver Sarrolha).......................
                     Delfina Fernandes (ver Grufina)
Chanças – Américo Fernandes (filho da tia Vermelha que foi para o Brasil)
Carteiras – Artur Augusto Pereira (ver Sacheco)
Caseiro – Sr. Humberto, de Arufe

Chasco - Francisco António Fernandes (Ver Çaço)

Checha - Maria dos Santos Caminha
Chedre – Carlos Pereira
Chefe – José Gomes
Chicheiro – Francisco Rocha
Chiote – Carlos neves
Chochelas – José Pereira
Cidália – Natália Pires
Conservado – António Pires (Toninho da sr.a Margarida)

Cornecho – António Pereira (filho da sr.a Benedita Caloura)
Coronel – Manuel António Fernandes

Corrécio – Emídio Pires (filho do tio Grilo)
Couceiro – Amadeu Pereira

Çuca – José Caminha
Cuco – João Fernandes
Cueca – Fernando Silva
Curopos – João Alcino


Êlhe – Fernando Carlos Martins
Engenheiro –João Pereira
Ervilhas – Hermínio Pereira

Escacha - Toninho da sr.a MargaridaEscachado – Armindo Pais
Escamado – Frederico Assunção Pires

Façana – Humberto Martins
Falta de ar – Norberto Pires
Farinhoto – Alexandre Pires (filho do tio Alípio Piqueno)
Farturas – Artur Alves
Fecisma – Maria da Graça Pereira
Ferramentas – José Carlos Veigas

Ferrinho – ?
Foguete – José Pais.................
                Armindo Pais (Ver Inimigo)
Fouce – João Manuel Pereira
Frade – Manuel Martins (Ver Guerra)
Fudicas – Ramiro Alves
Fuseiro – Aníbal Pereira


Galandum – José Gomes; (Ver Chefe )......................
                  Manuel Gomes (Ver Bóto)......................
                 Álvaro Gomes
Galeco – Jorge Pires
Galila - Tina Pires
Galochas – Manuel Maria Pereira (Ver Barbas d'Alho)
Garnacho – Sr. António (de Arufe, marido da sr.a Sância)

Garrano – José Adriano Pereira Martins (Ver Panarra)
Girinha – Alzira Machado
Gitlém – Hermenegildo Pires
Gralha – Ascensão do Senhor (esposa do Sr. José Luís)
Grande (A) - Antonieta Morais
Greludo - João Silva
Grifa – Zulmira Pereira
Grifo – António (Toninho, filho da tia Zulmira. Ver Marreta)
Grilo – Graciano Martins
Grufina – Delfina Fernandes (Ver Carroucha)
Guerra – Abílio

.................Adriano
.................Alfredo Martins (Ver Rastreja)
.................Manuel Martins (Ver Frade)
.................Sebastião Martins (Ver Çapão)

Inimigo – Armindo Pais (Ver Foguete)

Jarrete – António Júlio Pereira
Joaninha – Adília Julieta Morais

Juiz – António Silva

Labaredas – Victor Martins (Ver Macieiro)
Leirão – Carlos Martins

Leque – Mário Bernardo
Ligeira – Luís Machado
Lhé – Manuel Pais
Lobo – Alfredo Pires (Ver Aidinhas)
Lunetas – Carlos Ribom
Luzerna – Maria da Luz Gomes

Leocacha – Helena Pires (filha do tio Caixeiro)

Macieiro – Victor Martins (Ver Labaredas)
Malaguetas – Filipe Baptista
Malino – Joaquim Pereira (Ver Agasalho)
Mandinho – Amândio Pereira
Maneta – Olímpia da Natividade Afonso
Manias – José Maria Pereira (filho do tio César)
Maralha – Maria Emília Pereira (mulher do sr. Alcino)
Marão – Mário Fernandes
Marelo – Paulo Martins
Margarido – Carlos Pires
Maria Narcisa -
Maria da Graça Costa
Marquesa – Maria (mãe da sr.a Perpétua e da tia Maria do Seco)
Marreta – António Pereira (Ver Grifo)
Matrilena – Helena Martins

Milão – António Pereira
Mocho – António Honorato Fernandes (filho da tia Vermelha)
Moreno – Francisco Martins
Morraco – António Braz Pereira

Moucha – Zulmira Pereira

Nharro – Gilberto Fernandes (Ver Tição)
Nelzeira – Manuel Caminha


Pacheco – Duarte Pires
Pachica – Ana Maria Martins
Panarra – José Adriano Pereira Martins (Ver Garrano)
Pancrácia – Ana Morais
Panke – Carlos Gomes

Pássaro – Virgílio Fernandes
Pastora – Antónia Fernandes
Pataca – Maria Filomena Martins
Pateiro – Duarte Fernandes
Patinge – Amâncio Martins
Patolas – António Gomes
Patorro – Jaime do Nascimento
Pedro – Manuel dos Ramos Pereira
Pelada – sr.a Isabel
Pereirinha – Lurdes Pereira Ribom

Perrincha – Fernando Martins
Pescadinha – Basílio Pires

Picarete – João Baptista Pereira
Pilatos – Jorge Pereira
Piloto – António dos Santos Martins

Pintassirgo – António Pires (filho do tio Caixeiro)
Pincha – António Pereira (no Brasil era o “Couce de Mula”)
Pinguim – António Pires (filho do tio Alípio)
Pinote – Orlando Martins
Pintana – Guilhermino Fernandes (Ver Sortes)
Piqueno – Alípio Pires
Piruças – Orlando Fernandes

Pote – José Fernandes
Pouca-Chicha – Fernando Alves


Raposa – António Bernardo Pereira
Rastreja – Alfredo Martins (Ver Guerras)
Rata – Efigénia Pereira
Rauta – Gualter Martins
Rente (ao chão) – António Morais
Ribas – Amílcar Pires
Roca – Ana Pereira
Ruça – Amélia Pereira

.............Júlia Pereira

Sacheco – Artur Augusto Pereira (Ver Carteiras)
Santa – Etelvina Pires
Santacombinha – João de Deus Pires
Santo – João Pires
Santo Velho – António Manuel Pires
Sarrolha - Conceição Fernandes (Ver Carroucha)
Seca – Eduarda Pires
Seco – João Pires
Serrinha – Joaquim Martins (filho do tio Moreno)
Sorna – Carlos Martins
Sortes – Guilhermino Fernandes (Ver Pintana)

Sota - Angélica Costa

Taré – Perpétua Pires
Tição – Gilberto Fernandes (Ver Nharro)
Torto – Adriano Martins (Ver Guerra)
Tralhós – Carlos Pereira (Ver Balhinhas)
Trocho – António Rodrigo


Valente – João Valente
Vermelha – Maria da Conceição Pires
Vira-Sacos – António Rodrigo (Ver Baçal)


Zãeno – Eduardo Rodrigo
Zaragatas – Manuel Veigas
Zarrunga – Ascensão Fernandes (de Arufe)



Fátima Stocker

21 comentários:

António disse...

Parabéns, menina!. Isto é o que se chama trabalhar! Um trabalho exaustivo de conservadora do registo civil.É espantosa a criatividade desta gente de Rebordainhos que não deixava ninguém sem ser rebaptizado. Não consigo ajudar-te na descodificação dessas nomeadas, dado que muitas vezes elas aparecem de forma mais ou menos aleatória e por fenómenos de homonímia ou paronímia, sem qualquer significação especial. Dizer que Atilano provém de Átila, chefe dos Hunos, seria especulação gratuita, pois que, ao tempo, ninguém em Rebordainhos deveria conhecer tal criatura.

regina disse...

Vamos lá ajudar estas meninas que tão exaustivamnte trabalharam!
Beringuel - Luís Rodrigo
Birolho - António Gomes
Carabunhas - Alfredo Pires
Chanças - Américo Fernandes
Em vez de Castanheta é Cagalheta - João Pereira o Engenheiro
Escahado - Armindo Pais
Escacha - Toninho da Margarida
Garnacho - António marido da Sância
Gralha - Ascenção do Senhor (esposa de José Luís)
Milão em vez de Milano - António Pereira
Pintassirgo -António Pires (filho do caixeiro)
Sota - Angélica Costa
Taré - Perpétua
Torto - Adriano Martins
Devo corrigir o nome do meu avô que era Çaço e Chasco - Francisco António Fernandes
Bjs
Céu

regina disse...

Tenho ainda:
Caloura - Emília Maria Pereira
Zarrunga - Ascenção Fernandes
As restantes é que já não sei
Céu

Anónimo disse...

Fátima
As grandes vencedoras das nomeadas são a Conceição e Delfina Fernandes.
Foi a elas que pedi ajuda e também o meu irmão Orlando, sobretudo das mais novas.
Céu

J. Stocker disse...

Parabéns a todas pelo vosso trabalho e colaboração.
Para a recém chegada Lurdes, as nossas boas vindas, quantos mais formos , mais agradavel se torna
Para o António, Augusta e Regina, a receita do caldo de grabanços ou ervanços e os figados da matança, saiem esta tarde, depois da Fatima ver se não existem erros ortográficospois a minha falta de vista prega-me muitas partidas, por esse motivo peço a vossa colaboração, para que se os virem, nos avisem
A musica da semana será de acordo co a maioria "venham mais cinco"

Um abraço para todos, parabéns para a Fátima pelo seu trabalho

Fátima disse...

Tonho

Obrigada! Vais ver, aquelas esperas no Registo de Bragança enquanto a minha mãe conferenciava com a D. Aninhas deram nisto!

A criatividade da nossa gente é, de facto, impressionante. Quase ninguém escapa. Mais: há quem tenha duas e três nomeadas!

Em relação ao Atilano já me tinha lembrado disso, ma concluí o mesmo que tu. O tio António também não seria, exactamente, o terror do povo... (mas à conta dele apanhei uma valente descompostura da minha mãe porque, não lhe sabendo o nome, tratei-o pela alcunha!).

Beijos

Fátima disse...

Céu

A ti não posso dizer que o Céu te pague... por isso, muito obrigada mais uma vez.

Já fiz as correcções que indicaste e acrecentei a que faltava. Mais cedo ou mais tarde havemos de conseguir deslindar tudo.

O meu muito obrigada à tua mãe (com quem tenho uma dívida de gratidão), à tua tia Delfina e ao Orlando.

Beijos

J. Stocker disse...

Regina

A divida de gratidão é essencialmente minha!
Obrigado a ela e a ti

Um abraço para as duas

Freixedelo disse...

Parabéns a todos, de facto está aqui o verdadeiro registo das gentes de Rebordaínhos. Deve ter sido um trabalho imenso conseguir catalogar esta imensidão de gente. Não só de pesquisa, mas também de organização. Muito bem.

Rui

regina disse...

Fátima,
Devo corrigir uma nomeada:
Margarido não é o Manuel mas sim o irmão Carlos Pires.
O Manuel é o Barril

Fátima disse...

Obrigada, Rui. Creio que estou a agradecer por todos.

Beijos

Fátima disse...

Obrigada, Céu, já fiz a correcção.

Beijos

regina disse...

Fátima,
Carambolas não sei de onde era. Sei que era o Sr. Ernesto, marido da irmã do Senhor Padre João.
Lembrei-me de outra nomeada:
Checha - Maria dos Santos Caminha

Fátima disse...

Obrigada, Céu, vou agora fazer os acrescentos.

Beijos

César disse...

Muito bom este cantinho na rede que encontrei casualmente e quase diàriamente visito para matar velhas saudades
Gostei de relembrar das nomeadas. Muitas delas pairavam ainda em minha velha memória, mas hoje já não consigo associar a grande maioria delas a seus respectivos donos, pois devido ao longo tempo de ausência de minha saudosa terra natal, conheço pouquíssimas pessoas físicamente, mas lembro que nos meus tempos de garoto ouvi muitas vezes tratarem o José Pereira, ou manias, também por gaio. Não posso garantir que não seja apenas um delírio de minha cansada massa acinzentada, mas acredito piamente que não.
Espero de alguma forma ter contribuido e muito grato a todos que criaram este blog por nos manterem atualizados com as notícias da nossa tão saudosa "terrinha".
César

Fátima disse...

Caro César

Acredito que falo por todos ao dizer-lhe que estou muitíssimo grata pelas palavras que aqui nos deixou. Bem-haja, pois!

O Zé Maria bem nos disse que, aos tempos da escola, a garotada lhe dava outra nomeada, mas não se descoseu. Afinal, aqui está ela, a acrescentar ao rol da passarada que é dos maiores! Resta-me falar com ele a confirmar (mas isso só lá para Novembro, provavelmente). Em todo o caso, obrigada pela colaboração.

Se se recorda de tal, é porque deve ter a mesma idade do Zé Maria, o que faz de si uma pessoa ainda nova! Confesso que me não lembro de si, o que me entristece. Não poderia adiantar-nos mais sobre quem é? Os seus pais ou outros parentes próximos, enfim, o que quiser (e se quiser) dizer-nos.

Estamos a tentar recolher tudo sobre a nossa terra: a história das pessoas; os jogos e brincadeiras, orações, culinária, habitação, trabalhos... tudo aquilo de que consigamos lembrar-nos. Guarda memórias da sua infância que queira ou possa partilhar connosco? Tem fotografias? Querendo, pode escrever directamente para o e-mail do João Stocker (disponível no perfil incluído na barra lateral desta página)que nós teremos todo o gosto em publicar, indicando o autor e a origem.

Já agora: sou filha do senhor João Fouce e da senhora Teresa, irmã da Augusta e da Olímpia, membros deste blog. Os outros membros são o João Stocker (criador do blog e meu marido, o único que não é de Rebordaínhos); a Milita que é neta da tia Zulmira e a Lurdes que é filha do tio Hermínio. Colaboram connosco, enriquecendo muito este espaço, o Orlando, filho do tio António Piloto; o António, filho do tio Jaime e, esporadicamente, o Rui que é neto do senhor Eurico (filho do tio António Trocho, da taberna de cima) e o João Manuel, filho do Rafael. Brevemente, contaremos com nova colaboração, mas só quando chegar a altura a referirei. Será que, um dia, poderei adicionar o seu nome a esta lista?

De novo lhe agradeço as suas palavras tão gentis.

Um abraço

César disse...

Olá Fátima:
Eu sou irmão do Zé Maria, mas por aí poucos me conhecem pelo meu primeiro nome. Sempre fui conhecido pelo segundo nome, para que não fosse sonfundido com meu pai. Meus pais continuam me chamando apenas de Batista. Do tio João Fouce e tia Teresa (sempre preferi tratá-los assim), bem como de todos vocês, tenho muitas e boas lembranças. Tenho inclusive numa foto bem antiga que foi tirada lá na parte de baixo do Múrio, o Evaristo encarrapitado na ponta de um galho de macieira, comendo as maçãs, é claro. Tenho também umas cinco ou seis já com a cor bem desbotada pelo tempo, das malhas lá ne eira de cima do outeiro, onde aparecem várias pessoas que hoje eu nem consigo mais identificar. Já separei algumas e deixei com meu filho para digitalizar. Vou enviá-las logo que as receba, mas aos poucos, pois moro num lugarzinho pacato e bem tranquilo onde a rede nos é oferecida apenas pela operadora de telefonia celular a uma velocidade tipo "carreirão de arufe".

um abraço em todos

César

´Fátima disse...

BAPTISTA!!!! Um grande abraço!

Lembro-me tão bem de ti! Filho da tia Élia e do tio César, duas pessoas por quem tenho grande estima e consideração.

Bem hajas pelas visitas que, pelo que vejo, exigem paciência de santo. Bem-hajas, ainda, por te dispores a partilhar connosco aquilo que tens.

Nem imaginas como fiquei contente de saber notícias tuas!

Beijos

Olímpia disse...

Olá Batista!
Mas que grande surpresa!
Também eu, em nome de todos os membros deste blog, dou-te as boas vindas e, desde já te digo que contamos com a tua colaboração!
Continuo a morar perto da tua irmã Berta e, lembro-me muito bem de ti.Julgo que és da idade da minha irmã Amélia.
Sabes que me palpitou que, este César, seria um de vocês?
Aguardamos ansiosamento a prometida colaboração.
Obrigada, por esta tiua partilha.
Beijos
Olímpia

Augusta disse...

Olá Baptista
Mal li a tua primeira comunicação, disse para mim própria que se tratava da tua pessoa. Depois transmiti ao meu cunhado João. E não é que acertei?
pois sê muito bem vindo a esta casa que é de todos os de Rebordaínhos independentemente do local onde residam.
Que bom saber notícias tuas.
Cá esperamos pelas fotografias e outro tipo de colaboração que nos possas dar. Toda a ajuda é preciosa e, acredita que este teu contacto deu-nos mais força para continuar.
No Domingo, quando for a Rebordaínhos direi aos teus pais que tens falado connosco.
Beijos
Augusta (do tio João Fouce)

J. Stocker disse...

Caro César

Pouco posso acrescentar ao que aqui foi dito pela Fátima (minha mulher) e pelas minhas cunhadas Augusta e Olímpia "Fouces".
O seu comentário deu-nos mais força para continuar com o trabalho a que todos nos propusemos e que já começou a dar alguns frutos, apesar do seu pouco tempo de existência.
Gostariamos muito de ter o seu endereço de correio eléctrónico, será possível fornecer o mesmo? O nosso é stockermar@gmail.com.
Ontem estive com a minha cunhada Amélia, que me pediu para lhe enviar cumprimentos.
Seja muito bem vindo a esta sua casa virtual.

Um abraço