terça-feira, 21 de outubro de 2008

À descoberta dos cogumelos

Não pretendo ensinar o padre-nosso ao cura, porque nem sou botânica, nem tenho a veleidade de saber tudo sobre cogumelos que é a palavra mais usada para tratar toda esta família de fungos.
Mas se tiverem tempo e disponibilidade serão surpreendidos, com a quantidade e variedade desses fungos aos quais quem aqui nasceu e vive conhece pelos nomes populares de níscaros, de frades, de pinheiras, de carneiras.
Aqui as pessoas, na sua grande sabedoria, herdada de gerações sem conta, conhece, à distância essa diversidade, dentro da familiaridade.
E era bom que os citadinos saíssem dos seus alcatifados aposentos e viessem ao encontro da Natureza. Talvez pudessem saborear estas iguarias cozinhadas com presunto, toucinho ou vitela mirandesa. O manjar seria inesquecível!!!

Não tente identificar cogumelos apenas com base em imagens. Existem diversas espécies perigosas e mesmo letais. Saber identificá-las com precisão requer experiência e informação rigorosa.
A autora deste post não se responsabiliza pelos usos incorrectos das informações aqui disponibilizadas.


25 comentários:

Anónimo disse...

mt bom artigo, adoraria passar um fim de semana na apanha de cogumelos. seria uma experiencia enriquecedora e cheia de proteinas.

céu disse...

Lurdes,

Parabéns pela bela reportagem que aqui deixaste.
É um belíssimo trabalho e muito elucidativo. Tive pena não ter podido participar, mas fica a promessa para a próxima.
Um beijinho
Céu

Lurdes disse...

Para "anónimo" obrigada pela visita e também pelo comentário, amigo eu respeito o teu anonimato volta sempre... em Londres não há cogumelos???
Beijinhos
Lurdes

Lurdes disse...

Obrigada Céu, sim foi um dia bem passado e com muito sol e alegria. Boa camaradagem adorei.
E foi com muito gosto que fiz esta pequena "reportagem".
A nossa aldeia também tem muitos cogumelos bem que podiamos organizar uma saída.
Beijos
Lurdes

J. Stocker disse...

Cara Amiga
Lurdes Pereira

Os meus parabéns pelo Post.
Fico satisfeito que a minha chamada de atenção no Blog para a realização deste evento, tenha sido aproveitada e dela nos teres dado conhecimento.
Um beijo grande e continua a publicar

céu pereira disse...

LULU,
Mais uma vez estás de parabéns, esta "reportagem" está muito genuína em relação a um dos (vários) costumes tradicionais dos transmontanos,a apanha dos cogumelos.
A sugestão de organizar uma saída na aldeia seria muito boa, pois resultaria num convívio muito salutar, para as pessoas passarem um dia no campo e os mais "experientes na matéria" poderem transmitir determinados conhecimentos aos mais novos, que só se adquirem com a "experiência da vida".
Quem me dera comer agora uma "carneira" assada nas brasas, em cima de um carolo de centeio!... ( só de pensar cresce-me água na boca).
Mana,muitos beijinhos

Paula disse...

Parabens Parbens esta fantastica atua mini reportagem...tenho uma mana maravilhosa ...
para quem não gosta do campo como eu até dá vontade de participar .
Prometo para a proxima talvez faça parte desse grupo .BEIJOCAS continua ...

Lurdes disse...

Obrigada João,
O que mais custa é começar agora já está...
Eu também te agradeço pela tua chamada de atenção no Blog sem a qual talvez não tivesse participado.
Foi uma experiência engraçada e diverti-me muito e também aprendi mais alguma coisa sobre cogumelos.
Beijos
Lurdes

Lurdes disse...

Para as minhas manas apesar de já lhes ter agradecido, mais uma vez obrigada pelo vosso carinho que eu retribuo com muitos beijinhos.
Lurdes

Fátima disse...

Lurdes

Que espanto; nomes científicos e tudo, olaré! Nem tu imaginas a água que me cresceu na boca!
Estou como a tua irmã: uma carneirinha não ia nada mal mas eu, de mais lambona, dispensava o pão.

Aqueles mata-moscas são os nossos resalgares, não são? Lindos como o pecado!

Vês? Às tuas irmãs só lhes faltava o empurrãozinho de seres tu a publicar. Em boa hora!

Beijos

J. Stocker disse...

Para a Paula e para o anónimo

Bem vindos a esta vossa casa e voltem sempre.

Um abraço

Fátima disse...

Lurdes

Ainda cá volto para perguntar: por onde foi o passeio, pode perguntar-se? Ou é segredo, não vá haver espanhóis à coca?

Beijos

Lurdes disse...

João o anónimo é um amigo meu de escola do IPB, é de Coimbra mas agora vive em Londres, em conversa dei-lhe o site do blog e ele fez esta brincadeira de deixar o comentário.
Beijos
Lurdes

Lurdes disse...

Fátima muito obrigada por tudo, os nomes científicos foi só para imprecionar e mostrar os meus conhecimentos básicos... :)

Não tenho a certeza mas acho que sim que os mata-moscas aqui lhes chamam ressalgares.
Sim são muito bonitos.
O nosso guia disse-nos que as cabras gostavam muito deles e depois de os comer ficavam todas malucas, foi uma risada com os amanitas muscarias e as cabras...

Beijos
Lurdes

Fátima disse...

Lurdes

O meu irmão Artur já me tinha dito que as cabras os comiam (fiquei pasmada, porque ao pé deles não se vê bicho nenhum) mas que, depois, não lhes podemos aproveitar o leite porque nos envenena.

Em Rebordaínhos já não há cabras: vê-se cada mata de resalgares ao pé dos castanheiros...

Augusta disse...

Lurdes:
Parabéns, parabéns e, mais uma vez parabéns. Lamento não ter tido oportunidade de te aompanhar. Para a próxima, se outros afazeres não coexistirem, também lá estarei com toda a certeza, até porque, como diz a minha mana cassula, eu também sou uma lambona para estes manjares. E, se queres que te diga, não me armo em esquisita quanto à escolha! Desde que seja comestível... MARCHA.
Beijinhos

J. Stocker disse...

Esta sugestão já tinha sido dada em privado à Lurdes mas agora deixo-a aqui à consideração de todos.

Organizar-se um passeio pedestre na próxima Primavera denominado "À descoberta da nascente do Azibo" organizado pela Junta de Freguesia em colaboração com a ASCRR e com a colaboração da CMB e CMMC.
Uma Hipótese: Concentração em Pombares dos oriundos de Bragança e de Macedo, percurso Pedestre de Ponbares a Teixedo, Pereiros e nascente do Azibo (Almoço no campo)
Lanche em Rebordaínhos

Augusta disse...

Às manas e amigos da Lurdes, dou-lhes as boas vindas e um ATÉ QUE ENFIM... E claro, muitos beijinhos
Augusta

Lurdes disse...

Fátima,
Sim pode-se dizer para onde fomos, pois os espanhóis penso que já conhecem tudo por aqui até melhor que alguns transmontanos.
Fomos para a floresta perto de uma aldeia que se chama Alimonte, fica muito perto de Bragança, ali é uma zona onde há muitos cogumelos mas como já não chovia à muito tempo havia poucos. Agora que choveu daqui uns dias é só apanhá-los.
Beijos
Lurdes

EC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
EC disse...

Afinal a reportagem não demorou nada a sair!!! Está muito boa, com nomes científicos e tudo!
Tu nos cogumelos e nós na montaria... mas reencontro no final!
Beijinhos
Milita

Olímpia disse...

Excelente apresentação.Excelentes fotografias.
Concordo com aqueles que sugerem uma saída destas em Rebordaínhos.Alguém nos havia de ensinar a identificá-los!
Também a mim me cresceu a água na boca. Assadinhos na brasa, são uma delícia.
Parabéns.
Continua a publicar.
Beijinhos
Olímpia

alexandrecastro disse...

bom dia lurdes
claro que a conversa tida no passeio micológico aguçou a minha curiosidade....!
gostei mto deste post e confesso tb, fotografa mto bem.
bj
alexandre

Lurdes disse...

Para as meninas, Olímpia, Augusta e Milita obrigada foi um prazer partilhar com todos o meu passeio...
Beijos
Lurdes

Baiqueeuespero disse...

O Fórum de vai fazer este ano pela 1ª vez uma apanha das sanchas e a seguir uma almoçarada com uma caldeirada das mesmas. E são com estes eventos que os nossos filhos aprendem a distinguir os cogumelos.
Sou de Carviçais mas vivo em Oeiras e a minha filha de 8 anos já começa a conhecer quais os que deve apanhar.
Botai lá....a divulgar o que é nosso.
Abraço