terça-feira, 25 de junho de 2013

Passaportes

IV

Mais uma vez peço a quem ainda não respondeu, e conhece emigrantes no Brasil, o favor de preencher a este simples inquérito para que possa encontrar todos (os possíveis) emigrantes. O inquérito pode ser acedido aqui: goo.gl/dtwZs 

Com mais cinco emigrantes elevamos para vinte o número daqueles que tiveram de abandonar em algum momento a nossa terra e atravessaram o atlântico em busca de uma vida melhor.

Por favor, atrevam-se a dar palpites.


1
Nome: Eugénia da Ascenção Pereira
Data do Passaporte: 1951
Nascimento: 1918
2
Nome: Amâncio Augusto Costa
Data do Passaporte: 1946
Nascimento: 1911
3
Nome: António Joaquim Pereira
Data do Passaporte: 1947
Nascimento: 1918
Nota: Natural das Cabanas.
4
Nome: Natália de Jesus Morais
Data do Passaporte: 1958
Nascimento: 1935





5
Nome: Felismina Luísa Machado
Data do Passaporte: 1939
Nascimento: 1907
Nota: Natural dos Pereiros e residente em Salsas(freguesia).




________________________________________
Podem consultar todos os passaportes já identificados aqui (clicar).
Algumas estatísticas podem ser seguidas aqui (clicar)

13 comentários:

Anónimo disse...

A nº 1 Irmã da Srª Zulmira tia do Pilatos não sei se tem por nome Eugénia ou Cesarina.
O nº 3 é o António Pereira dos restantes não os conheço.

Céu disse...


Olá Rui

Atrevo-me a dar o meu palpite ao nº. 4.

Natália, irmã da tia Julieta, ou seja: Filha da tia Isabel Caldeireira.

Bjs

Cáu

Fátima Pereira Stocker disse...

Boa tarde, Rui

Obrigada por persistires nessa busca de nós.

Não sei quem é o anónimo, mas acertou no António Pereira, que é o meu tio "Pincha" e, pelas semelhanças, parece-me que também acertou na tia Eugénia Pereira (creio que é a tia Eugénia!).

De resto, sei quem é a n.º5, mas seria deslealdade identificá-la porque só o soube por mero acaso.

Beijos

Fátima Pereira Stocker disse...

Rui

Ainda cá volto, por causa das tuas estatísticas: aquele ano de 1950 mostra-nos as consequências imediatas da II Guerra Mundial. De facto, Portugal não participou, mas sofreu-lhe as consequências económicas e sociais de forma brutal.

Já agora: os filhos estão contabilizadas entre aqueles que emigraram? Não, pois não (até porque os passaportes não dão essa informação)?

Beijos

Beijos

elvira carvalho disse...

Passei.
Deixo um abraço e votos de uma excelente semana

Olímpia disse...

Rui,
de todas as fotografias, só consigo identificar o nº3, o meu tio "Pincha". A primeira, dadas as parecenças com a tia Zulmira e com a tia Ana de Vale de Nogueira, só poderá ser irmã delas e, por conseguinte, prima da minha mãe.

Continua!
Bjo

Olímpia

Augusta disse...

Rui:
O prometido é devido, não é assim?
Mas olha, os que eu conseguiria identificar, já o foram. Por isso aguardo mais e melhores respostas.
Bj

RF disse...

Boa noite a todos,

Obrigado pelos palpites, de facto três deles foram muito fáceis. Estão assim revelados os nomes.

O número 5 é de facto o mais difícil e sem ser pelo mesmo acaso que a D. Fátima adivinhou duvido que alguém consiga fazê-lo. Por isso vou revelar o apelido: Machado.

O número 2 para ajudar aos palpites vou deixar uma pista. É primo direito da minha bisavó Angélica. Alguém arrisca?

Rui

RF disse...

Boa noite D. Fátima,

A década de 50 foi realmente penosa atendendo às imensas pessoas que foram forçadas a abandonar o seu lar. A distribuição dos nascimentos é regular; mas realmente no que toca a saídas, a década de 50 destaca-se pela gente que levou.

Quanto aos filhos menores contabilizo aqueles que os passaportes indicam, ou seja, apesar de serem 20 passaportes são já 29 rebordainhenses no Brasil. Por exemplo só o meu tio Manuel do Outeiro e a tia Elisa levaram com eles 6 filhos menores, todos nascidos cá. Os próprios passaportes indicam os nomes deles. Para além deles a minha tia Berta levou 2 filhas e o sr Reinaldo Pires levou 1 filho que perfaz os 9 contabilizados.

Nota: Actualizei as estatísticas acrescentando desde já mais 3 passaportes que encontrei bem como uma comparação de casado/solteiro e faixa etária dos emigrantes.

Beijos

Rui disse...

Boa noite,

Quer me parecer que a altura do feno não é a mais propícia à actividade do blog.

De qualquer modo vou aumentar a pista sobre o número 2.
Sendo primo da minha bisavó Angélica, adianto que o é pela parte paterna, logo é um Costa (Brás). É filho de um destes 3 irmãos do meu trisavô Belisário: João Costa, António Costa ou Narciso Brás.

Rui

Fátima Pereira Stocker disse...

Rui

Deve ser dos fenos...

Eu, nem com essa ajuda tão escarrapachada consigo lá chegar.

Beijos e tem lá paciência

Rui disse...

Boa tarde,

Está tudo identificado.

O número 2 é filho de João Costa e irmão da tia Isabel. Foi-me indicado pelo seu sobrinho Ramiro Valente.

Apenas para enquadrar as informações que passei sobre os irmãos Costa. O António Costa era o pai da tia Ana Costa. Narciso Brás era o pai da tia Angélica do tio Arnaldo (e mais, claro).

Quanto ao número 5 tendo em conta o apelido penso que seria familiar da tia Angélica Machado dos Pereiros apesar de não ter confirmado ainda a ligação.

Rui

Fátima Pereira Stocker disse...

Rui

Pois agora que fizeste a identificação é que vêm ao de cima as parecenças: o Valente da tia Isabel dá muitos ares ao tio e aqueles olhos claros (certamente azuis, embora a fotografia não permita atestar)são os olhos da tia Isabel.

E já que falamos em parecenças, é impressionante a semelhança entre a tia Eugénia e a Marquinhas, sua sobrinha.

Beijos e o meu muito obrigada pelo esforço