sábado, 10 de janeiro de 2009

O Baile



Serenamente caía sobre mim e fui-me vestindo de branco – manifestação de alegria pura!



Entreguei-me nos braços da neve e ela envolveu-me com a ternura dos amantes. Extasiei-me com ela e dancei ao som da música do vento, e era o vento que nos guiava pela rua que estava escura.

De madrugada, todos os passos estavam marcados, denunciando o enlevo prolongado.

Na neve nem sempre se passa incógnito.
Fátima Stocker, Jan. 2005

8 comentários:

Augusta disse...

Lindo!
Onde tinhas isto escondido durante tanto tempo?
Beijos

Olímpia disse...

Uma bonita poesia em prosa.
Como te admiro, irmã!
E, nestes momentos desassossegados e penosos, consegues ser a única em manter vivo o espírito deste blog.
O João vai gostar.
Bjos
Olímpia

António disse...

A quem é poeta a poesia não o deixa em paz, mesmo quando escreve em prosa.
São um mimo de harmonia feita de luz e neve estas tuas linhas.
Parabéns!
António

Fátima disse...

Garotas
Tonho

Bem-hajais! Hoje, mais do que nunca, as vossas palavras foram o calor necessário para levar o dia de vencida.

ceu disse...

Fátima

Simples, linda e profunda, esta pequena prosa que, como todas as outras, têm para mim, o sentido de uma bela poesia.
E.. não te deixes vencer, coragem, Amiga!
Beijos
Céu

Lurdes disse...

Simples e bela esta linda prosa...
Linda como o Amor que nos move e nos faz sentir que somos importantes para alguém.
Como é bom Amar!
Beijinhos
Lurdes

Fátima disse...

Céu
Lurdes

Obrigada pelas vossas palavras e pela força que me dais.

Gomes disse...

Muito bonito. Nunca tinha visto isto. Onde esteve esquecido isto ate agora
Pe. Jorge